Retrospectiva com Lego Serious Play

Olá,

Ontem foi um dia muito especial: eu gosto muito de Lego e estava curioso para saber como funciona o Lego Serious Play.

Referências

Minhas primeiras referências foram algumas publicações encontradas na web:

Minha busca começou em 5 de janeiro. Essa ideia já rondava a minha cabeça, pois eu queria aproveitar o ambiente de trabalho para experimentar novas ferramentas e, também, criar novas experiências para mim e para a minha equipe. Eu pensei nos títulos (…Teaching and Learning…)… aprender e ensinar é o que eu mais amo na vida!

Atenção: é muito importante ler os textos e ver a palestra, pois é preciso conduzir as atividades com dedicação e planejar o acontecimento é fundamental.

A atividade

Meu maior guia para rodar a dinâmica foi o vídeo (LEGO SERIOUS PLAY at Conference with Marko Rillo). Nele, eu pude ver a execução em prática e pude confirmar uma premissa que eu acredito: na dúvida, segue o protocolo e demonstra a tua motivação para seguir em frente. Quando tu demonstra com gestos, sem falar nada, a tua motivação, todos são cativados por aquele momento.

Os passos são muito simples e seguem uma sequência de envolvimento com o lúdico e  com as metáforas e os significados que damos às coisas.

No começo, fizemos duas atividades para nos ambientar com a abstração das peças coloridas e para escolher uma personagem (um bonequinho) para as demais atividades. Depois, já fizemos uma atividade que nos coloca no cenário profissional: porque eu trabalho onde eu trabalho?

Nesse momento já foi possível expressar muito sentimento e todos se colocaram de coração aberto. No meu caso, pude ver em cada colega como ele pensa sobre si e sobre o ambiente de trabalho. Nessa atividade, já aconteceu muita empatia, logo de início. Depois, o primeiro momento de atividade em grupo. O desafio foi: vocês tem 4 minutos para construir a torre mais alta. O que aconteceu? A torre ficou só na base. Frustração? Não, oportunidade.

Refletimos como nos comunicamos em grupo e sobre como divergimos sobre o entendimento de um objetivo comum. Depois de alinhar essas arestas, fizemos uma nova tentativa e a torre ficou sensacional!

Na sequência, uma nova atividade sobre abstração e metáforas. Dessa vez, cada um criou uma obra aleatória, da forma que quisesse. O interessante: na hora de mostrar aos outros o que havia sido criado, eu dava um tema para cada um e ele tinha que explicar a obra a partir do tema que eu dei. Difícil? Não. Todos exploraram o tema e potencializaram as características da obra que construíram, com foco no tema proposto. Foi fantástico ver a criatividade tomando conta de um momento de abstração e metáforas.

Por fim, começamos a pensar no futuro e perspectivas. O exercício proposto foi: como eu me vejo no futuro, quando iremos finalizar uma grande etapa do nosso projeto? Novamente, todos colocaram nas peças toda a emoção e expectativa do que será o primeiro grande marco do nosso projeto. Mais uma vez, todos deram a sua explicação sobre o que construíram. Repetindo, unir emoção, metáfora, expectativa e imaginação é a grande jogada das atividades. Depois de construir, todos explicaram suas obras e quais suas expectativas para o futuro.

Emoção, empatia, divertimento, alegria, imaginação: cada um pode expressar o que sente e colocar um pouco de si naquelas peças coloridas que, sozinhas, representam quase nada.

A última atividade foi conectar todas as obras do grupo. Afinal, a expectativa é de todos e é construída em conjunto. Como um time, colocamos um pouco da nossa expectativa e dedicação, para que todos concluam uma etapa comum.

Na última parte: brincar!
Enquanto eu conduzia os pontos positivos e negativos da sprint, ficamos brincando com as peças.

Afinal, é legal?

Foi fantástico.

Ainda estou refletindo sobre o que aconteceu, anotando e revendo itens, desenhando e guardando na memória cada momento. Estou buscando o que podemos melhorar nessa atividade, para colocar em prática com outros grupos e melhorar.

A participação dos colegas me encheu de orgulho. Foi fundamental ver o envolvimento de todos e ver em cada um a vontade de fazer a atividade dar certo. Acredito e confio que o resultado trouxe mais afinidade pro time e a oportunidade de colocarmos em prática o que dificilmente vamos ver numa daily ou retrospectivas mais tradicionais.

Outro ponto positivo: todos adoraram brincar com Lego. O Lego não fez parte da minha infância, mas hoje, criança grande, eu amo brincar com Lego. Tenho grandes companhias na minha casa mas dividir essa experiência com os colegas gerou oportunidades que não vemos no dia-a-dia.

Pontos negativos?

Ainda estou procurando. Por favor, quem puder me ajudar a melhorar essa experiência, me escreve um e-mail. Quem sabe tomamos um mate?

Última parte

Pedi aos colegas para escrever o que acharam da atividade:

” A retrospectiva foi super interessante no meu ponto de vista, foi bem conduzida e achei que todos ficaram bem ligados na estratégia de resolver os problemas e trazer o lego pra mim foi inovador, nem brincava muito com lego quando criança, mas as brincadeira trouxeram um nível bacana de interação com o time.”

 

“Eu gostei dessa dinâmica, pois brincando nós acabamos entendendo melhor o que os nossos colegas pensam a respeito do projeto/equipe/empresa assim como conseguimos clarear o que nós mesmos pensamos a respeito. Além de nos divertir muito durante o seu andamento, também foi estimulante no ponto de eu querer fazer algo tão divertido quanto.”

 

“A dinâmica nos faz exercitar a criatividade o tempo todo. E, compartilhar, com as outras pessoas, o significado de como encaramos nosso dia a dia ao nos confrontarmos com a mesma situação. Você expõe um pouco como você vê o mundo e recebe de volta como outras pessoas também vêm. Se aprende muito com essa troca de sentimentos”

 

“Re-criar. Re-pensar. É isso que o LEGO nos permite. E no momento que nos reinventamos enquanto pessoas, também reinventamos o ambiente ao nosso redor. Descobrimos uma criatividade e, por vezes, uma ousadia que nos permite enxergar além do óbvio em outras áreas de nossa vida. Durante esta dinâmica nosso time pôde se reinventar em conjunto e esta experiência, com certeza, será levada para o nosso cotidiano.”

Foi sensacional!

LEGO, the LEGO logo, the Brick, Knob configuration and the Minifigure are trademarks of the LEGO Group. 2010©

Alexandre Silva

I'm addicted on SW Engineer, agile and learning, a very good reader of old and good books, and I love to think strategically. I love to be with my family and a like very much to know people from other cultures.